15 abr

Leia para seu filho: uma experiência extremamente gratificante

A maioria dos pais brinca com seus filhos, os leva para passear, compra presentes e adora passar um tempo com eles. No entanto, é cada vez mais difícil encontrar uma mãe ou um pai que leia para seu filho. Em um mundo tão tecnológico, a leitura tem sido deixada de lado, dando lugar aos modernos jogos de videogame e aos programas de televisão.

Isso de fato pode ser prejudicial, já que os pais podem estar perdendo uma oportunidade maravilhosa de passar um tempo de qualidade com seus filhos e ainda ajudá-los em seu desenvolvimento. Quer saber mais? Continue a leitura!

A importância de estimular o hábito da leitura nos bebês

Você provavelmente conhece alguém que diz não gostar de ler. Sabia que é muito menos provável que isso aconteça com seu filho se você estimulá-lo, lendo para ele?

De acordo com um relatório realizado pelo Instituto Nacional de Educação dos Estados Unidos, o Becoming A Nation Of Readers, as crianças que têm contato com a leitura ainda quando bebês, já conseguem associar que as letras do livro são correspondentes às informações que o adulto está expressando verbalmente.

Além disso, os bebês não têm cérebros completamente desenvolvidos e a leitura pode estimular os sentidos e auxiliar nesse processo. Uma criança que tem um contato maior com os livros, consegue aprender mais rapidamente a se comunicar, a reconhecer letras, números, formas, cores, animais e o mundo ao seu redor. Tudo porque a leitura já terá apresentado essas coisas a ela.

Ler para seu filho pode ajudá-lo no desenvolvimento escolar

Ao ler para os filhos, automaticamente, os pais estão fazendo com que esse seja uma tarefa comum, assim como tomar um banho ou brincar com os brinquedos. Tal fato evitará que no futuro ela se sinta mal ao precisar ler um livro para a atividade de casa. Outra vantagem é que existem grandes chances de que essa criança continue com esse hábito ao longo da vida.

A leitura ainda pode ajudar na alfabetização e nas outras disciplinas escolares, pois o suporte para o aprendizado dentro do ambiente escolar é o livro didático. Sendo assim, estar acostumado a ler pode ser uma vantagem e tanto para interpretar melhor os textos, sejam eles dos livros história ou os problemas de matemática.

A leitura ajudará ainda a fazer com que a criança possa escrever melhor, já que a grafia das palavras acaba sendo fixada na memória.

Estreitando os laços de afeto por meio da leitura

O momento da leitura pode ser extremamente prazeroso para os pais e para as crianças. Ao aconchegar a criança no colo e levá-la a viajar em outros mundos e realidades que ela não conhece, os pais estão vivenciando um momento praticamente mágico junto a elas. Isso com certeza acaba estreitando os vínculos afetivos, pois é um momento divertido e agradável feito em conjunto.

Transmita lições e valores

Escolher bem o livro é uma tarefa muito importante, afinal, é neste momento que os pais podem inserir leituras diversificadas e proporcionar acesso à cultura e valores que serão importantes para auxiliar na construção da personalidade de seus filhos.

Procure sempre optar por livros com lições de moral e que deem aos pequenos as ferramentas certas para que eles tenham uma boa convivência em sociedade. Isso não significa necessariamente que todos os livros precisam ter esse objetivo — a leitura deve ser feita por prazer e o que a criança aprenderá com ela será apenas uma consequência.

Sendo assim, apresente vários tipos diferentes de livros e deixe que elas escolham quais serão os títulos — mas não deixe de mostrar todas as opções disponíveis.

Desperte emoções e o autoconhecimento

Além de despertar a imaginação e curiosidade das crianças, a leitura ainda pode ampliar conexões cerebrais que provocam relaxamento e prazer. Observe que ao ler para seu filho, ele fará expressões variadas, de medo, admiração, suspense, felicidade e até tristeza.

Isso fará com que ele se acostume a lidar com esses sentimentos e tenha um autoconhecimento muito melhor. Mas é muito importante lembrar-se de que as crianças precisam ter contato com livros adequados para suas respectivas idades e também para a maturidade leitora de cada um.

Não necessariamente uma criança mais velha gostará de um livro mais complexo, pois se ela ainda não teve contato com esse universo, um livro maior e mais difícil pode até assustá-la.

Já crianças que tem esse estímulo desde bebês, costumam desenvolver uma maturidade leitora que faz com que ao ficarem mais velhas, elas consigam ler livros complexos com uma facilidade muito maior — escolher livros mais simples pode se tornar entediante.

Faça com que o momento seja maravilhoso

A leitura pode ser um hábito realizado rotineiramente, mas nunca deve ser uma obrigação. Isso porque, ao se tornar um dever, a criança passa a enxergar os livros como monstros que devem ser derrotados, quando na verdade eles são portas para mundos desconhecidos e surpreendentes. Mostre isso aos seus filhos e veja como ele conseguirá se apaixonar pelo mundo da leitura!

Uma dica importante é: caso você perceba que a criança não está à vontade durante a leitura, experimente optar por livros mais curtos ou de gêneros diferentes. Também é válido considerar parar a leitura e retomá-la outro dia. Assimilar o desconforto ao hábito da leitura pode causar um efeito contrário.

Leia para seu filho usando a criatividade

Seja criativo e dê vida aos personagens, ritmo à narrativa e também use e abuse de expressões e gestos que facilitem para a criança o entendimento sobre a história. Quanto mais informações ela absorver, maior será o aproveitamento do momento como um todo.

Nada de deixar o final para o dia seguinte, pois isso pode fazer com que a criança fique ansiosa. Coloque uma expectativa no final e faça com que ele seja realmente surpreendente, use o tom de voz e a imaginação para isso. O mundo da leitura é prazeroso e divertido e pode se tornar um excelente programa em família que, como visto, só proporciona vantagens!

O que acha de começar a estimular o hábito da leitura em seu filho hoje mesmo? Aproveite e confira aqui nesse outro post os 7 motivos por que os bebês choram!

8 abr

Em casa ou no salão: qual melhor lugar para festa infantil?

Quem tem filho pequeno sabe que cada centavo deve ser gasto com muita sabedoria, por que a criação exige um grande investimento. Por isso, quando chega o aniversário, é comum surgir uma certa dúvida sobre o lugar para festa infantil. Afinal, o que é melhor, comemorar em um salão de festas ou em casa? Não existe uma resposta certa para essa pergunta, mas cada tipo de festa tem prós e contras que devem ser levados em consideração antes de fazer a escolha.

Em algumas situações, as mães podem até escolher não fazer a festa de aniversário. Porém, quem não gosta de comemorar mais um ano de vida da pessoinha mais importante da sua vida? O aniversário de um ano então, nem se fala: é um marco. Para você poder preparar a festinha do jeito que sempre sonhou, confira algumas dicas para escolher entre realizá-la em casa ou em um lugar especializado.

O lado bom do salão de festas infantil

O principal benefício de fazer uma festa de aniversário para crianças em um salão é a praticidade. Cada local tem suas exigências, mas normalmente esse tipo de estabelecimento oferece um serviço completo: buffet, animação, brinquedos, cuidadores. Por isso, ele se torna ideal para quem não tem muito tempo para cuidar dos detalhes da comemoração mas não quer que a data passe em branco.

Essa opção também é excelente para pais e mães que moram em apartamentos com pouco espaço ou casas sem jardim e quintal, pois conseguem acomodar melhor os convidados e fazer uma comemoração com mais amigos e familiares.

Outro lado bom é que os salões de festa costumam ter uma longa lista de fornecedores e oferecem muitas atrações opcionais para você contratar e incrementar a festa, como profissionais fantasiados de personagens infantis, decoração de festa diferenciada, etc.

Cuidados ao fechar o lugar para festa infantil

Como nem tudo são flores em nenhuma opção, os salões costumam ter preços mais elevados, especialmente por que trazem o serviço completo para facilitar ao máximo a vida de mães e pais. Assim, quem desejar contratar essa opção, precisará fazer um bom investimento.

Ao fechar o contrato, sempre observe o horário em que a festa deve começar e qual a duração máxima. Pergunte e deixe claro qual a taxa cobrada por hora extra, pois elas podem gerar cobranças excedentes e costumam ter preços salgados.

Verifique quais serviços já estão incluídos no pacote, quais devem ser contratados à parte (geralmente fotografia e vídeo) se o tema da festa é padrão ou pode ser escolhido pelo aniversariante. Também é importante checar se o local escolhido tem opções de entretenimento para crianças da idade dos amiguinhos do seu filho.

Festa em casa: tudo com a sua cara

Já a festa em casa ou no salão do prédio permite que os pais tomem as rédeas e controlem completamente a festa do filho. Para crianças muito pequenas ou tímidas, essa ideia é bem interessante para deixá-las mais à vontade no espaço. Os bebês são os que mais ganham com essa opção, pois podem dormir a qualquer momento. A comemoração também ganha um ar intimista e pode ser decorada com brinquedos do seu filho, fotografias, docinhos caseiros.

Além disso, é possível optar por fazer a festa no horário que você preferir, sem ter que pagar taxas adicionais caso a comemoração se estenda por mais tempo que o planejado. Nesse tipo de festa, você também tem mais contato com os quitutes, podendo certificar-se de que eles não terão ingredientes que alguma das crianças é alérgica, por exemplo, o que evita acidentes.

Festa caseira passo a passo

Para começar a organizar uma festinha de aniversário em casa, a primeiro passo é ter organização. Você precisará providenciar mobiliário, alimentos, bebidas, música, entretenimento para as crianças, lembrancinhas e decoração, por isso, é essencial manter a calma e contar com a ajuda de amigos e parentes.

Em festas em casa, pode ser que não haja cadeiras e mesas para todos os convidados, por isso, o melhor é alugar móveis de plástico. Os talheres, pratos e copos de porcelana ou vidro também devem ser substituídos por opções de acrílico ou papelão, por serem mais seguros para a criançada.

A parte mais difícil é preparar docinhos, salgadinhos e bolo, já que eles dão um certo trabalho e precisam ser feitos em grandes quantidades. Para simplificar essa parte, escolha receitas práticas e, se você não tiver prática na cozinha, pode ser bastante interessante contratar um profissional especializado ou mesmo encomendar as delícias em docerias e padarias locais.

Um cuidado a ser tomado é preparar brincadeiras e ter certeza de que os adultos ficarão de olho nas crianças. Elas necessitam de atenção e qualquer momento de distração durante uma festa pode causar um acidente. Para garantir, você pode pedir para algum familiar se encarregar da função ou contratar ajuda especializada.

Festinha perfeita

Depois de decidir o local da festa infantil, mamães e papais precisam decidir algumas questões importantes sobre o estilo da festa. Por exemplo, se será servida bebida alcoólica para os adultos e se eles poderão tomar suas bebidas em copos de vidro, que podem quebrar e machucar as crianças.

Independentemente da festa ser realizada em salão ou em casa, os pais também devem procurar fornecedores que tenham indicações confiáveis e sempre deixar as obrigações registradas em contrato, que são uma garantia para você e para o fornecedor. Assim, você não corre o risco de descobrir que no dia da festa de aniversário do seu filho, o bolo não ficou pronto.

Por último, tente preparar tudo de acordo com o gosto da estrela do dia: seu filho! Atente sempre para o que fará a criança se sentir confortável, não se esqueça de chamar outras crianças da mesma faixa etária para que ele possa brincar muito e escolha um tema de festa que ele goste, o pequeno vai adorar a surpresa!

Com tudo pronto, basta dar banho, escolher uma roupa bonita e aproveitar muito a comemoração de aniversário do seu filho no lugar para festa infantil que mais tem a ver com o que você sempre sonhou para esse momento! Confira nossas dicas sobre os melhores vestidos para festa de 1 ano!

1 abr

Chá de fraldas ou um lindo enxoval? Qual escolher?

Seja você mãe de primeira, segunda ou terceira viagem, é comum que se queira dividir com pessoas queridas todas as emoções que o período de gestação proporciona. Para que isso aconteça, costumamos planejar alguns encontros para reunir todas essas pessoas: anúncio da gravidez, comunicado do sexo do bebê, reuniões com as outras mamães da família ou do grupo de amigas.

Nesse momento, algumas dúvidas passam a assolar as futuras mamães: se devem ou não fazer um encontro para arrecadar presentinhos para seu filho. E, em caso afirmativo: o que fazer? Chá de fraldas ou chá de bebê?

Estas dúvidas são completamente aceitáveis já que o tempo é curto, principalmente para mamães que possuem jornada dupla. Para fazer a escolha certa, cada mamãe deve ponderar sua própria dinâmica, suas tarefas diárias e, até mesmo, sua situação financeira — afinal, o chá de fraldas abastece a casa de fraldas e o chá de bebê ajuda a montar enxoval.

Mas se mesmo fazendo essa reflexão você ainda está com dúvidas, separamos algumas dicas que podem ajudá-la. Vamos lá?

Pense na (sua) praticidade

Diversas mamães optam por promover um chá de fraldas pensando na praticidade para seus convidados. Se esse é seu caso: repense. Sim, é inegável que a fralda seja um item facílimo de ser encontrado (supermercados, farmácias, etc) e não demanda ida às lojas especializadas em artigos infantis. No entanto, lembre-se de que o foco deste momento é a chegada da sua criança, portanto, a praticidade que deve ter prioridade é a de vocês (dos pais e da criança).

Outro ponto que você, mamãe, deve levar em consideração na hora de escolher é que o chá de fraldas não é completamente seguro. Não há certeza de que você estará se abastecendo da melhor fralda para seu filho. Você pode escolher a marca e o tamanho, é claro, mas ainda não sabe exatamente as características físicas do seu bebê, de forma que sempre haverá o risco de que elas fiquem largas, pequenas ou, mesmo que seja raro, provoquem alguma alergia.

Mais uma questão que você deve considerar são as suas necessidades. Se você precisa de uma “força” para comprar os itens necessários para a chegada do seu bebê, (seja por falta de tempo ou por questões financeiras) invista em um encontro em que os convidados possam lhe presentear com o que você realmente precisa, como as roupinhas, por exemplo. Mas não se engane, essa é uma escolha viável, e não apenas por necessidade (falta de tempo e/ou dinheiro).

Como veremos mais adiante, se sua prioridade ainda é seu convidado, saiba que o chá de bebê facilita e é completamente justificável quando se quer deixar o convidado mais livre na escolha do presente.

Devo mesmo fazer esse encontro?

Ok, promover um chá de bebê para montar o enxoval não está parecendo mais uma escolha tão absurda se comparada ao chá de fraldas. Mas você ainda está em dúvida se deve realmente fazer algo. Cada pessoa tem uma forma de lidar com a vida, mas nos arriscamos a dizer que: compartilhar a felicidade é a melhor forma de vivenciá-la.

Promover um encontro com pessoas queridas é uma forma gostosa de compartilhar este momento tão especial da sua vida. Além disso, esse momento permite que essas pessoas demonstrem para seu filho ou filha o carinho que já nutrem por ela ou ele.

Agora, se sua dúvida tangencia a área financeira, saiba que, com certeza, fazer um chá de bebê é uma escolha acertada. Desde que você se lembre, é claro, de que não é uma festa. Então, contenha-se nos mimos para os convidados — esse é o seu momento de ser mimada. Concentre-se em promover um momento aconchegante, como falaremos a seguir.

Como fazer um encontro para montar meu enxoval

Existem diversas formas de promover essa reunião, e escolhemos algumas que enfocam a praticidade tanto para a futura mamãe, quanto para seus convidados:

Faça uma lista do que precisa

Este o formato mais tradicional, mas é claro que você pode deixar mais personalizado. Não é porque você optou por um chá de bebê, no lugar do chá de fraldas, que deverá abster-se de deixar claro o que quer para o enxoval da sua criança.

Uma das melhores opções, atualmente, é escolher uma loja virtual para as compras. Usando essa opção, você pode escolher exatamente os itens que deseja ganhar. Ao enviar o convite, basta escrever o item, a marca, o modelo e o endereço virtual da loja online de sua confiança.

Escolham os presentes juntos

Calma, você não precisará sair de casa com todos os seus parentes e amigas ao mesmo tempo. Uma opção bem legal é deixar que seus convidados façam as compras durante o encontro.

Monte um espaço bem legal próximo ao computador

Abra, em seu computador, as abas com os endereços das lojas virtuais escolhidas. Próximo ao seu computador, deixe uma folha em branco para que as pessoas escrevam o item que já foi encomendado, assim não haverá duplicidade nas escolhas. No mesmo espaço, deixe escrito seu endereço (ou qualquer outro local no qual deseja receber os presentes).

Essa ideia é muito funcional. Primeiro, porque você estará no recinto e caso a pessoa tenha alguma dúvida poderá conversar diretamente com você, antes de finalizar a compra. Segundo, porque permite que o convidado compre roupas e outros presentes, não apenas o enxoval.

Sem lista

Sim, essa é uma opção perfeitamente possível. Não exigir itens específicos de ninguém é, com certeza, algo legal. Entretanto, sugerimos que você deixe algumas diretrizes gerais. Isso porque, para algumas pessoas, essa liberdade total pode deixá-las perdidas.

Nossa sugestão é: escolha pelo menos a loja virtual. Pense que, se você estabelecer um universo de produtos, marcas e modelos que te agradam, reduzirá as chances de que as escolhas de seus convidados não sejam úteis para você.

Enfim, tenha em mente que esta não será uma reunião qualquer, mas um momento para que as pessoas demonstrem carinho tanto ao seu filho quanto a você. E isso pode ser traduzido de forma prática, quando sua escolha concede a elas o espaço e a oportunidade para que sejam facilitadoras dessa nova etapa da sua vida.

Gostou das dicas e já quer saber quais itens não podem faltar em seu enxoval? Então clique que aqui e descubra!

25 mar

Roupa ou brinquedo: qual o melhor presente para uma criança?

As crianças adoram receber presentes, isso é um fato. Mas na hora de escolher o que comprar para presenteá-las, surge sempre a dúvida: roupas ou brinquedos? Pode parecer meio bobo, mas saber qual o melhor presente costuma mais complicado do que parece, afinal, as mães costumam optar pelas roupas e as crianças pelos brinquedos, não é mesmo?

Hoje, separamos algumas informações que podem ajudá-lo nessa escolha. Continue a leitura do post e confira!

Por que geralmente as mães preferem roupas?

Há muitos que criticam quem presenteia as crianças com roupas, já que a maioria das crianças preferem brinquedos. No entanto, é importante levar em consideração os motivos para que as mamães prefiram as roupas, afinal ninguém melhor do que elas para saber o que as crianças precisam, certo?

Para que você entenda alguns dos motivos que levam as mães a terem essa opinião, reunimos alguns deles, como:

Brinquedos inadequados para a idade

Antes de comprar brinquedos, a maior parte das pessoas ignora a idade que a criança tem, o que pode fazer com que a escolha seja inadequada, como dar um boneco com várias funções para um bebê, ou mesmo um ursinho para uma criança mais velha que pode não se interessar por ele.

Ao fazer isso, mesmo que sem querer, a pessoa acabou dando um presente que será pouco aproveitado ou pior, será deixado de lado. Já as roupas, quando compradas no tamanho certo, podem ser usadas nas mais diversas ocasiões e dificilmente ficarão inutilizadas.

Diferença entre a durabilidade das roupas e dos brinquedos

Enquanto as roupas podem ser usadas até não servir mais, os brinquedos costumam durar um período bem menor. Inclusive, é recomendado comprar um ou até dois números maiores, para que ela dure mais.

Já os brinquedos, mesmo que sejam resistentes, o risco de serem usados por pouco tempo é grande, já que algumas crianças tendem a “enjoar” da maioria de seus brinquedos ou ganham novos que tiram o destaque dos que antes não saiam de suas mãos!

Falta de espaço

Muitas pessoas acabam dando brinquedos na esperança de agradar os pequenos. Acontece que receber muitos desses mimos em todas as datas comemorativas e aniversários pode deixar as mamães perdidas, já que depois de um tempo fica difícil saber onde guardá-los. Imagine se todos resolverem dar brinquedos em todas as ocasiões? Ficaria realmente bem difícil de conseguir encontrar um espaço para armazená-los.

E se eu não agradar a criança?

Esse medo é comum tanto para as mães que procuram presentear os filhos, quanto para familiares e amigos da família que resolvem comprar algo para a criança. É importante lembrar, que dependendo da idade, o pequeno ainda não sabe bem quais são as próprias necessidades.

Sendo assim, mesmo se ele ficar mais feliz com um brinquedo, não significa que essa é a melhor opção para aquele momento. Isso significa que, ao presenteá-lo com uma roupa, você pode ajudar muito mais a suprir as necessidades dele.

Além disso, como já dissemos em outro post, as roupas podem influenciar muito na autoestima da criança. Portanto, por mais que você tenha medo de presenteá-lo com alguma roupinha, esse pode ser um excelente presente!

Como resolver essa questão definitivamente

É importante escolher roupas que agradem, nada de comprar aquele conjunto básico que a criança vai achar chato, afinal, é um presente — uma forma de agradar tanto as mães quanto as crianças é comprando roupas que possuam estampas de personagens infantis.

Para crianças menores, o ideal é escolher uma com a estampa de um desenho, personagem ou mesmo animal favorito. Já crianças maiores ainda podem gostar de personagens de videogames e temas que você não conhece, sendo a melhor opção perguntar diretamente a elas.

Há ainda a opção de investir em uma roupa e juntar isso com um brinquedo mais simples, que ela possa gostar. O melhor jeito para fazer isso é apostar em brinquedos que desenvolvam alguma habilidade na criança, como quebra-cabeças, blocos de montar, material para pintura, entre outros.

A vantagem dessa opção é que esses brinquedos têm custo baixo e, quando dados junto com a roupa, viram um presentão e agrada tanto as mães quanto os pequenos!

Como escolher sem erros?

Para saber qual é o presente ideal é ver o que a criança está precisando naquele momento. Existem muitas possibilidades, como macacões, leggings, vestidos, casacos, toucas, pijamas, meias e sapatos.

Questione

Se o presente for para uma criança com quem tenha contato, essa etapa é fácil, pergunte sem medo, afinal as mães preferem ser questionadas do que ganhar presentes que não serão usados.

Fuja do comum

Para fugir do padrão, procure estampas mais divertidas, lúdicas, que realmente chamem a atenção da criança. A moda infantil já oferece muitas opções divertidas e que deixam as crianças muito animadas e bem-vestidas. Além disso, alguns itens já vêm acessórios que podem compor ainda mais o “lookinho”.

Vincule a entrega do presente a um passeio

Outra opção é comprar uma roupa que combine com uma ocasião divertida para a criança, como um conjunto com estampas de animais e vesti-lo com ela para fazer uma visita ao Zoológico. Isso com certeza proporcionará um estímulo para que a criança se sinta satisfeita com o presente e ainda terá recordações boas sempre que usar aquela roupa.

Pense de modo prático

Não adianta comprar uma roupa linda, mas que a criança não terá muitas oportunidades para usá-la por conta do estilo. Você pode apostar em algumas peças que não podem faltar no guarda-roupa, pois elas são sempre úteis!

O que fazer após decidir qual o melhor presente

Após decidir o que vai comprar, é importante lembrar-se de que presentes são legais, mas as crianças se importam muito mais com os momentos felizes. Sendo assim, que tal transformar a entrega do presente em um momento marcante?

A dica é: faça do momento da entrega do presente uma brincadeira! Você pode deixar o presente embrulhado escondido em algum local e depois deixar pistas para que a criança o encontre, por exemplo. Também pode fazer um jogo de adivinhação para que ela descubra o que ganhou. Existem muitas opções, basta usar a criatividade!

Agora que você provavelmente já decidiu qual o melhor presente para uma criança, confira também o que não pode faltar no enxoval de bebê!

18 mar

11 erros sobre a segurança do bebê

A partir do momento em que as crianças nascem, a responsabilidade de cuidar da saúde, bem-estar e integridade física delas passa a ser de seus pais — é importante ter em mente que bebês são sensíveis, frágeis e indefesos.

Infelizmente, eles estão bastante expostos a riscos e, muitas vezes, os perigos não são tão aparentes, o que pode criar armadilhas no próprio dia a dia da família. Daí a necessidade dos papais e mamães redobrarem a atenção em relação à segurança dos pequenos.

Quer saber quais são os principais erros que podem ameaçar a segurança do seu bebê? Então continue lendo o nosso artigo e fuja deles a todo custo. Vem com a gente!

Usar protetores de berço e cobertores grossos

Os protetores de berço realmente são fofos e cumprem um papel decorativo no quarto da criança, mas de acordo com a Sociedade Americana de Pediatria, os bebês podem entrar debaixo do protetor e serem sufocados pelo tecido. Se você não abrir mão do protetor, opte por modelos mais fininhos. Quanto aos cobertores, prefira os mais leves e tome cuidado na hora de cobrir o bebê, cubra-o apenas até a altura do peito e mantenha os bracinhos para fora da coberta.

Colocar objetos macios no berço

No intuito de acertar e deixar a hora do soninho mais aconchegante, alguns pais colocam pelúcias, almofadas, rolinhos e enfeites macios dentro do berço. Embora aparentemente inofensivo, esse é um erro grave. Quanto mais livre estiver o berço, mais seguro e confortável será o sono do bebê, pois o risco de sufocação diminui bastante. No caso de crianças mais crescidinhas, a ausência desses objetos também ajuda a prevenir quedas, já que a criança não poderá fazer uma pilha de almofadas e bichinhos para escalar o móvel.

Deixar os móbiles ao alcance do bebê

Os móbiles são lindos e ajudam a entreter os bebês, mas à medida que a criança for crescendo, a altura do móbile deve ser ajustada. É um erro deixá-lo ao alcance do bebê, pois quando ele alcança o móbile, o enfeite pode cair e machucá-lo. Além disso, a criança pode se engasgar com partes pequenas que, eventualmente, venham a se desprender.

Não respeitar a faixa etária indicativa dos brinquedos

Quando for comprar brinquedos para o seu filho ou até mesmo quando ele ganhar brinquedos de terceiros, observe a faixa indicativa, pois utilizar um brinquedo destinado a crianças maiores, coloca a segurança dele em risco. Como as crianças pequenas costumam não só tatear, mas também colocar os objetos na boca, eles podem engasgar com peças pequenas e soltas. Além disso, alguns brinquedos elaborados para crianças maiores podem conter alguma toxidade na tinta, que para os mais velhos não causa danos, mas para os mais novos, pode representar um risco. Além da faixa etária, cheque se o brinquedo possui o selo do INMETRO.

Comprar andador para o bebê

No intuito de fazer com que o bebê aprenda a andar rápido, alguns pais ainda utilizam bastante o andador. No entanto, esse acessório não é recomendado pelos pediatras brasileiros. Além de alcançar certa velocidade e favorecer as quedas, ele não favorece a postura da criança, prejudica a formação dos ossos, e ainda pode fazer com que a criança prenda o dedinho na parede e fazendo com que ele fique completamente inseguro para dar os primeiros passos sozinho. Cada coisa a seu tempo! Seu filho vai andar na hora certa e com o seu suporte. É mais seguro e saudável assim!

Dormir junto com o bebê na cama

Levar o bebê para dormir na cama dos pais é uma falha gravíssima de segurança! É comum que, para que não tenham que levantar durante a madrugada, os pais coloquem o filho recém-nascido para dormir com eles na cama do casal. Além de prejudicar a vida a dois, essa prática ameaça a integridade física da criança, já que os pais podem rolar e sufocá-lo. O ideal é que, desde o início, os bebês tenham o próprio cantinho, que sejam criados tanto uma rotina como hábitos na hora de dormir.

Deixar objetos pequenos ou cortantes em locais acessíveis

Manter moedas, alfinetes, enfeites de cabelo, bibelôs e outros objetos pequenos ao alcance da criança pode ocasionar acidentes sérios, como engasgos fatais que venham a obstruir a respiração. Quanto menor for o objeto, mais alto deve ser o local para guardá-lo. Fica a dica! Em relação a facas, alicates e outros objetos cortantes, a regra é a mesma: guardar em lugares inacessíveis para o bebê.

Manter as piscinas e janelas desprotegidas

Com bebês de colo não há grandes problemas em deixar janelas e piscinas descobertas, mas a partir do momento em que a criança começa a engatinhar, os riscos aumentam — é um erro não colocar tela de proteção em janelas e piscinas. As janelas favorecem as quedas e as piscinas livres podem provocar afogamentos. Lembrando que as crianças podem se afogar com até 2 cm de água, portanto, mesmo a água dos baldes, banheiras e privadas representam riscos para os pequenos.

Colocar o bebê para dormir em posição inadequada

Durante muito tempo, os pais colocavam os bebês para dormir de bruços, por acharem que essa era a posição mais segura. Depois de muitas pesquisas, especialistas chegaram à conclusão de que o melhor para o bebê é dormir de barriga para cima, pois essa posição evita a temida morte súbita em crianças. Mesmo assim, há pais que insistem em posições inadequadas, ameaçando a segurança e bem-estar dos seus filhos.

Instalar a cadeirinha incorretamente

Mesmo com o manual em mãos, existem pais que erram ao instalar a cadeirinha do bebê no carro. Faça essa instalação com calma, de preferência, logo após a compra, com o auxílio da própria loja. Vale lembrar que antes de um ano de idade ou até a criança completar 10 kg, o mais indicado é que a cadeirinha fique virada para a parte traseira do carro. Ao usar a cadeirinha, não esqueça de colocar o cinto de segurança corretamente. O mesmo vale para o cinto de segurança do carrinho de passeio!

Não pensar na segurança das roupas

Outro erro comum é não se atentar à segurança das roupinhas. Muitos pais olham a beleza e conforto, mas desconsideram que até mesmo as roupas podem colocar a segurança dos pequenos em risco. Evite, por exemplo, peças com botões e apliques que se soltem com facilidade, roupas com cordões longos, capuz grande, golas apertadas, etc.

E aí, gostou do nosso artigo? Já cometeu algum desses erros de segurança? Conhece outras falhas que não foram citadas? Compartilhe com a gente!

 

10 mar

5 dicas para comprar roupas importadas para bebê

Comprar roupas importadas para bebês é uma das tarefas mais divertidas da maternidade. Sim! Vestir os pequenos e deixá-los ainda mais fofos dá muito prazer às mamães. São tantas coisas lindas disponíveis no mercado, que encher as sacolas com peças infantis fica muito fácil!

Nesse universo, há lindas roupas de marcas nacionais, mas existem também as incomparáveis peças importadas que, além de diferenciadas em termos de modelos e materiais, são confortáveis, duráveis e oferecem um ótimo custo-benefício.

As roupas infantis importadas normalmente possuem um padrão de qualidade inquestionável e o estilo não falta nas peças gringas. Uma é mais linda que a outra, a ponto de fazer qualquer mamãe babar.

Vestido de festa infantil

Vestido de festa infantil

Apesar das incontáveis vantagens de adquirir peças importadas, será que com o dólar em alta, comprar roupinhas de marcas internacionais continua sendo um bom negócio? Continua sim, desde que você adote medidas estratégicas para acertar nas compras. Quer saber que medidas são essas? Então veja nossas dicas para comprar roupas importadas para seu bebê.

Planeje suas compras e mantenha o foco

Para não comprar itens desnecessários, planeje as compras de roupinhas importadas com antecedência. Leve em consideração as peças que seu filho já tem, faça uma lista com as que o bebê está precisando e procure limitar as aquisições aos itens predefinidos. Só faça concessões se a oferta for realmente vantajosa ou se você lembrar de alguma coisa que não foi colocada na lista por esquecimento.

Embora as peças importadas possuam preços acessíveis, é importante manter o foco e evitar as compras por impulso. Antes de comprar uma roupa importada, pergunte a si mesma se aquele item combina com seu filho, se a roupa serve na criança, se há ocasiões oportunas para usá-la, se há espaço suficiente para guardar, se ela já não tem uma roupa muito parecida e por aí vai. Essa postura vai te ajudar a adotar um consumo consciente e eficiente.

Considere o tamanho das peças

Outro ponto importante na compra de roupas importadas para bebê é considerar o tamanho das peças. Se você comprar as roupinhas em lojas físicas no exterior, atente-se às etiquetas e seções.

Se seu filho estiver para nascer, for recém-nascido ou tiver até 9 meses, visite a seção Newborn. Crianças de 9 a 24 meses vestem roupas da seção Infant. De 2 a 4 anos, procure a seção Toddler. Dos 4 ao 7 anos, a seção recomendada é a Kids. E garotas e garotos acima de 7 anos encontram suas roupas nas sessões boys sizes e girls sizes.

Em relação aos tamanhos, a equivalência é a seguinte:

  • 2-3 nos EUA equivale a tamanho 2 no Brasil
  • 4-5 nos EUA equivale a tamanho 4 no Brasil
  • 6-7 nos EUA equivale a tamanho 6 no Brasil
  • 8-9 nos EUA equivale a tamanho 8 no Brasil

Ao escolher roupas importadas para seus filhos, tenha sempre em mente que crianças crescem rápido, portanto, evite comprar roupas muito justas ou curtas, pois elas vão acabar sendo pouco aproveitadas. As roupas tamanho RN, por exemplo, possivelmente não caberão mais no seu baby já nas primeiras semanas de vida. Para não errar na escolha, respeite as faixas indicativas de idade, mas considere também o tamanho e peso do seu bebê, pois é comum que crianças de 3 meses já vistam roupinhas de 6 meses tranquilamente.

Conjunto chique infantil feminino

Conjunto chique infantil feminino

Compre roupas importadas online

Nas lojas virtuais nacionais, a compra de roupas importadas é mais simples, pois os tamanhos já estão convertidos para o tamanho Brasileiro, o que facilita a escolha e evita erros. Ainda assim, se depois de provar o produto, a mamãe resolver trocar por um maior ou menor, a troca pode ser realizada.

Além das facilidades no que diz respeito ao tamanho, as lojas virtuais trazem mais praticidade e conveniência, já que nem todo mundo pode viajar para o exterior para comprar roupas importadas. Nesse caso, é possível pesquisar e comparar preços sem bater perna, a compra é feita em alguns cliques, você economiza gastos com passagem, evita despesas extras com tarifas alfandegárias e recebe a encomenda rapidamente e no conforto do seu lar.

Em compras virtuais, é indispensável optar por lojas confiáveis, que tenham selos indicativos de segurança e possuam uma boa reputação junto aos consumidores. Aproveite para analisar as formas de pagamento possíveis e checar as políticas de troca e entrega. Antes de comprar, certifique-se que há o produto em estoque, pois algumas lojas trabalham com encomendas e o envio pode ultrapassar 45 dias. Dê preferência a lojas que ofereçam roupinhas importadas a pronta-entrega, assim você evita a ansiedade excessiva.

e-Roupas de Bebê é uma ótima alternativa para quem quer comprar online as roupinhas do bebê, de maneira segura, rápida e garantida.

Vestido para bebê de festa infantil

Vestido para bebê de festa infantil

Observe o material e a praticidade da peça

Algumas roupas de bebês são lindas, mas nada práticas e confortáveis. Cheias de botões, cordões e aplicações, tornam-se difíceis de lavar, passar e conservar. Na hora da compra de roupinhas importadas, dê preferência a peças de fácil conservação, que sejam confeccionadas com materiais duráveis e confortáveis, a exemplo do algodão.

Aproveite para conferir a etiqueta com as especificações de lavagem e se certificar de que o tecido é hipoalérgico, macio e resistente a problemas, como as indesejáveis bolinhas. Se a compra for feita online, leia a descrição do produto atentamente e, caso seja necessário, esclareça suas dúvidas através do chat ou SAC.

Pense na economia quando for às compras

Por fim, procure economizar. Pesquise e compare preços, se estiver comprando no exterior, converta o dólar para real, busque promoções e cupons de descontos, calcule o frete os impostos, evite as aquisições por impulso e cogite a possibilidade de comprar marcas importadas em lojas virtuais nacionais.

Para completar, pense no custo-benefício dos produtos, evite fazer estoques de roupas do mesmo tamanho, leve em consideração as formas de pagamento e dê preferência a roupinhas bonitas e resistentes, afinal, comprar roupas de má qualidade é assumir o risco de jogar dinheiro fora.

E aí, você gostou das nossas dicas de como comprar peças importadas de vestuário? Vai colocá-las em prática para comprar lindas roupinhas importadas para o seu bebê? Já comprou roupas gringas alguma vez? Tem outras dicas interessantes para compartilhar? Comente!