22 jan

Vale a pena investir em babá para seu filho?

Em um dia a dia cada vez mais corrido, a rotina de cuidar dos filhos pode fazer com que o tempo simplesmente desapareça. A jornada dupla entre o trabalho e os afazeres da casa tornam tudo ainda mais cansativo e pode até comprometer o tempo com as crianças — uma coisa que nenhuma mãe quer, não é mesmo? Se você vive essa realidade, pode estar se perguntando se a babá é ou não uma boa opção para a rotina do seu filho. Ou será que seria melhor colocá-lo em uma creche?

Pensando nessa realidade compartilhada por muitas mulheres, fizemos esse post para que você conheça as vantagens e desvantagens de um investimento como a contratação de uma babá. Continue conosco e descubra!

Vantagens da babá

O que faz a maioria das mães optar por uma babá é saber que existe uma pessoa para acompanhar e dar atenção integral ao seu filho. O cuidado de uma babá pode ser muito mais próximo e fazer com que ele consiga interagir, ser bem alimentado, receber cuidado, etc. Pesquisas revelam que nos primeiros anos de vida o cérebro do bebê desenvolve até 50%, portanto é muito importante que ele seja profundamente estimulado nesse período.

Mas, como a maioria das mamães de plantão sabe, não é nada fácil encontrar uma babá. Com indicação ainda, é um feito praticamente impossível! Por isso, é bom começar a dar uma procurada antes mesmo do nascimento do bebê, para que ela consiga te ajudar nos primeiros meses do filhote.

E como essa contratação deve acontecer? Se você ainda não sabe, existem algumas agências de seleção que tem como objetivo agilizar o processo e ajudar na escolha. Existem também diversos grupos de mães em redes sociais, como o Facebook, que podem ajudar muito, indicando o que fizeram e que foi bom para o desenvolvimento do bebê nesse período.

Roupas de bebê verão

Atribuições de uma babá

Depois de contratar uma pessoa para te ajudar na rotina, fica a pergunta: qual seria o papel dela? Tenha sempre em mente que a babá é uma pessoa contratada para auxiliar e não deve nunca substituir as atribuições da mãe. Por mais que seu tempo seja corrido e cansativo, não negocie momentos e experiências com seus filhos por nada — e nem repasse esse privilégio para as babás.

Por exemplo, depois que você amamentar o bebe, a babá pode andar com ele para que ele arrote. Essa é uma maneira de diminuir o seu cansaço, fazendo com que tenha mais tempo para dormir e até para resolver outras pendências. Outra ideia é pedir à babá para preparar o banho e você, mamãe, fica responsável por ele. Mas é claro que isso varia muito de perspectiva e depende muito do perfil da mãe, não existindo uma receita certa. O importante é não negociar momentos importantes e desenvolver o vínculo com o filho.

Se essa é a sua segunda gravidez e chegada do seu segundo filho, a babá pode ajudar ainda mais. Afinal de contas, tomar conta de duas crianças pode ser uma ajuda e tanto na sua rotina. (Se você ainda não contou ao seu primogênito sobre a chegada de um irmãozinho, não pode deixar de ler a postagem que preparamos aqui.)

Atribuições da babá

Possíveis complicações

Como a maioria das pessoas já leu ou ficou sabendo, o que mais aterroriza as mães é contratar uma babá é a possibilidade ela não ser carinhosa ou não cuide bem do filho. Portanto, uma grande complicação é não poder acompanhar de perto e saber se a pessoa contratada é ou não uma boa babá.

Nesse momento, é muito importante estar sempre atenta e reparar se a pessoa gosta ou não de trabalhar com isso. Afinal de contas, é preciso gostar muito de bebês e de crianças para aguentar o choro e as birras.

Muitas famílias acabam optando pela instalação de câmeras para vigiarem o processo do trabalho, principalmente nos primeiros dias quando ainda estão mais desconfiados. Se estiver muito inseguro, essa pode ser uma boa opção. Mas estar atento ao tratamento da babá já pode ajudar bastante.

Outra complicação é a dificuldade em entender até quando seria melhor deixar a criança vivendo na dependência de uma única pessoa, ou seja, decidir quando colocará a criança em uma creche ou escola. A segunda opção é uma maneira de aumentar a socialização do bebê, tendo ganhos indiscutíveis para seu desenvolvimento.

A criança também tem contato com várias outras da mesma idade e participa de várias atividades pedagógicas, que podem influenciar (e muito) na alfabetização alguns anos mais tarde. Mas encontrar uma boa creche também é uma tarefa desafiadora — assim como as babás!

Roupas de bebê menina

Responsabilidades financeiras

Como você provavelmente já sabe, os gastos financeiros para manter uma babá são muito altos — e ainda cresceram nos últimos anos. A aprovação da nova legislação trabalhista para os empregados domésticos encareceu muito esse tipo de contratação, tornando-o inviável para muitas famílias brasileiras.

Nesse momento, é bom fazer as contas para descobrir se essa é a melhor opção ou se vai sobrecarregar muito as contas da família! Confira nesse post quais são os gastos que você terá com uma babá para ter uma noção mais próxima da realidade.

Roupas de bebê gêmeos

A tarefa mais difícil: a escolha

A procura de uma babá certa e confiável para cuidar dos próprios filhos é outro grande desafio que deixa as mães muito preocupadas. É melhor quando a escolha vem com o respaldo e a indicação de outra mãe, é verdade. Mas essa pode não ser a realidade, portanto, não se aproprie dela. No momento de contratar faça todas as perguntas que considerar necessárias e jogue limpo quanto às suas expectativas, afinal de contas, você está investindo alto na contratação de alguém para cuidar de uma das coisas mais valiosas que você tem: seu filho.

Tenha sempre em mente que não existe certo ou errado e sim a situação que se enquadra melhor na realidade da sua família. Se a empresa que você trabalha oferece desconto em uma boa creche, essa talvez seja a melhor opção – ela depende muito de caso para caso. E não se esqueça: se você arrepender de alguma decisão, não tenha vergonha de voltar atrás e mudar!

Uma boa escola em tempo integral ou uma babá são altos investimentos e não abra mão da qualidade nesses casos. E claro: fique de olho na adaptação do bebê e no interesse demonstrado por ele. Afinal, ele é o protagonista de toda essa história!

Você também tem alguma dica para compartilhar? Deixe o seu comentário e não deixe de inscrever-se para receber novidades em nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *