Como montar o guarda roupa perfeito para o seu filho!

Você sabia que montar o guarda-roupa perfeito para crianças vai muito além de pensar na estética das peças? Existem muitos outros fatores que devem ser considerados, a exemplo da faixa etária do seu filho, do conforto do vestuário, da segurança da roupa, da qualidade do tecido, etc. Moda infantil é coisa séria e abrange uma série de detalhes que garantem não só a beleza, como também o bem-estar do pimpolho.

Comprar roupas para crianças não é tarefa das mais simples. Primeiramente, porque a variedade de produtos disponíveis no mercado faz brilhar os olhos de qualquer pai zeloso e a vontade que dá é de encher as sacolas e levar tudo para casa, ainda que seu filho nem esteja precisando de tantas peças. Em segundo lugar, é complicado definir quais são os itens realmente necessários, o que comprar em cada fase da vida e que critérios adotar para fazer escolhas acertadas.

Para te ajudar na missão de comprar as roupas ideais para o seu pequeno, preparamos um guia completo com dicas exclusivas. Depois de conferir esse material, certamente, a hora das compras será descomplicada!

Vestido de bebê Carters
Vestido de bebê Carters

Considere a idade da criança

A maternidade e a paternidade são aprendizados dinâmicos e contínuos. Crianças crescem e, simultaneamente, as necessidades e especificidades do vestuário mudam. Os pais precisam se adaptar a isso e acompanhar o desenvolvimento dos pequenos, ajustando a compra de roupas a cada fase da vida. Veja a seguir o que considerar em cada etapa do crescimento das crianças:

Recém-nascido

Os bebês são mais sensíveis e precisam de maior proteção térmica, portanto, é por isso que, independentemente de ser inverno ou verão, é necessário que as crianças fiquem quentinhas. Uma boa dica é vesti-los em camadas e, à medida que o tempo for esquentando e a criança demonstrar incômodo ou calor, você deve tirar as mantas, casacos e demais agasalhos. As peças que não podem faltar no guarda-roupa dos bebês são as camisetas, os bodies, as calças, os macacões longos e curtos, além de casaquinhos. Dê preferência a roupinhas macias, de plush, malha e algodão puro. As roupas de linha/lã podem ser usadas com restrições, pois podem arranhar a pele sensível dos bebês, bem como, provocar alergias cutâneas.

De 1 a 4 anos

Normalmente, nesse período acontece o desfralde das crianças e, agora, peças mais diferenciadas já podem ser inseridas no vestuário infantil. É comum que roupas jeans e de brim já comecem a ser usadas com mais frequência pelos pequenos. Além disso, nessa etapa da vida, em que o crescimento é extremamente rápido, uma boa pedida é comprar roupas um pouco maiores, para que elas possam ser usadas por mais tempo. O ideal é que se compre calças e shorts ajustáveis na cintura.

De 5 a 7 anos

É nessa época que as crianças começam a apontar suas preferências em relação às roupas. Muitas delas adoram camisetas e vestidos que remetam aos seus personagens favoritos. É interessante que os pais estimulem a autonomia na escolha das roupas e até trabalhem essa questão de maneira lúdica, porém, é preciso intervir quando a escolha da criança não é apropriada para a ocasião ou temporada. Por exemplo, quando elas escolhem uma roupa de brincar em casa para ir a um evento em que, teoricamente, deveriam usar uma roupa de festa. Ou, ainda, quando querem vestir, a todo custo, uma roupa de verão no inverno.

Acima dos 8 anos

A partir dos 8 anos, é importante que você ouça o seu filho na hora de comprar roupas para ele. Ele já tem uma opinião semiformada e já sabe o que gosta de vestir. Ir contra isso pode não só entristecê-lo, como fazer com que ele não se sinta à vontade dentro da peça que você escolheu. Procurem sempre chegar a um consenso na hora da compra, considerado fatores como a moda, qualidade, conforto e preferências pessoais da criança. Há de se acrescentar que, segundo psicólogos, permitir que a criança escolha seu próprio vestuário, pode ajudar diretamente na formação de sua identidade. Fica a dica!

Vestido vermelho Carters
Vestido vermelho Carters

Respeite as estações

Outro aspecto importantíssimo na hora de comprar roupas para as crianças é respeitar as estações do ano. Toda criança precisa ter roupas para o calor, para o frio e também para meia estação, quando o clima fica mais ameno. Vale ressaltar que, entre uma temporada e outra, a criança cresce. Portanto, se você quiser aproveitar as promoções de roupas frescas, estando ainda no inverno, o ideal é optar por peças maiores, já que a criança terá que esperar alguns meses para usá-las. O mesmo vale para aquele casaco com preço irresistível! Você pode até comprá-lo estando em pleno verão, mas preste atenção ao tamanho. Não compre essa peça como se a criança já fosse usá-la.

Procure adequar também as suas compras à região que você mora. Se está no nordeste, onde faz calor praticamente o ano todo, nem por uma questão de estilo, você deve investir em coletes e casacos com pelinhos. É antiquado e inapropriado apostar em roupas tão pesadas e invernais, a menos que vocês estejam prestes a viajar para um lugar frio. Nas regiões mais quentes, basta ter alguns moletons e jaquetas de tactel, nylon ou jeans para quando, eventualmente, o clima esfriar.

Vestido Infantil de festa importado
Vestido Infantil de festa importado

Tenha cuidado com excessos

Ainda que seu desejo seja de comprar tudo o que vê pela frente, tome cuidado com os excessos e evite impulsos. Antes de efetuar a compra, pergunte-se se a criança realmente precisa daquele item, se combina com ela, se terá ocasião para usar antes que a roupa fique perdida, se ela não é excessivamente detalhada e se você tem espaço disponível em casa para armazenar mais aquela peça.

Infelizmente, muitas crianças nem chegam a usar determinadas roupas que seus pais compram. Elas crescem e a oportunidade para usar aquela roupa tão quente ou detalhada nunca chega. Nesse caso, o dinheiro gasto é perdido, além da aquisição ter comprometido diretamente o aproveitamento do espaço. De modo geral, a estratégia mais inteligente é comprar roupas para as crianças gradualmente, acompanhando seu crescimento. Isso é consumo consciente!

Pense na segurança da criança

De nada valem as dicas anteriores se você negligenciar a segurança dos pequenos. Recentemente foi publicada a Norma de Segurança de Roupas Infantis (ABNT/CB – 17), elaborada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas, em parceria com o Comitê Brasileiro de Têxteis e do Vestuário.

Segundo as novas normas, as roupas seguras não devem ter botões e apliques fáceis de arrancar com a boca, cordões muito longos que possam causar enforcamento ou capuzes que provoquem sufocamento.

Conjunto infantil masculino
Conjunto infantil masculino

Dicas adicionais para acertar nas escolhas

  • Compre roupas de marcas confiáveis e com qualidade comprovada;
  • Não pense apenas no preço, observe o custo-benefício. Não adianta comprar uma roupa barata, que tende a estragar na primeira lavagem;
  • Beleza também é fundamental! Opte por peças conectadas com as tendências de moda e invista em itens diferenciados, seja em termos de cores ou modelos;
  • Toda criança precisa de roupas mais básicas para usar no dia a dia e roupas mais arrumadas, para ir a festinhas, visitar a vovó, passear no shopping, etc.;
  • O guarda-roupa infantil pode e deve ter peças de cores mais neutras e sóbrias, como o preto e o branco, mas também não podem faltar roupas coloridas, em tonalidades como verde, laranja, amarelo, azul, rosa, dentre outras cores mais irreverentes;
  • Procure comprar peças que favoreçam múltiplas combinações. Por exemplo, só compre um short avulso se já souber com que blusa combinar. Além disso, apostar em itens versáteis, como o jeans, permite a montagem de vários looks;
  • Prefira lojas físicas ou virtuais que ofereçam uma boa política de troca. Assim, se a roupa não couber no seu filho, você pode substituí-la por outra.

E aí, vai ficar mais fácil comprar roupas para seus filhos a partir de agora? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Compartilhe conosco através dos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *