6 dicas e truques para organizar o quarto do seu bebê

Você passou a gestação toda pensando e imaginando como seria o seu bebê, a carinha dele, e tendo mil ideias de como decorar e preparar o quartinho para recebê-lo, não é mesmo? Pelo menos é isso o que acontece com a maioria das mamães e dos papais por aí. Mas quem já passou pela experiência de ser mãe e pai alguma vez também sabe muito bem que depois que o bebê chega são tantas as coisas das quais é preciso cuidar que acaba ficando bastante difícil manter o quartinho organizado, decorado e harmonioso como você sempre sonhou durante a gravidez.

Identificou-se com essa situação, mamãe? Então não se preocupe, pois preparamos este post cheinho de dicas e truques para que o quarto do seu bebê fique sempre organizado, sem que seja preciso gastar um tempo precioso com isso. Ah, e fique à vontade para adaptar as dicas de acordo com o perfil do quarto do seu bebê, espaço disponível e rotina, certo? Está preparada para conferir? Então, vamos lá!

Comece escolhendo os móveis certos!

O primeiro passo para organizar o quarto do bebê é escolher os móveis certos. Tudo aqui dependerá do quanto de espaço você tem disponível. Tenha em mente que o básico será o berço, o armário para as roupinhas, uma cômoda, uma mesa para troca de fraldas e uma cadeira de descanso.

Dica: é muito importante tomar o cuidado de olhar bem as medidas do quarto antes de comprar os móveis, hein? Imagine se depois de tudo comprado você descobre que eles não caberão lá? Se necessário, conte com a ajuda de um profissional para te ajudar a otimizar o espaço!

Organize as roupinhas por tamanho

Toda mamãe sabe que assim como é grande a variedade de roupinhas que o pimpolho ganha — até mesmo quando ainda está na barriga da mamãe — também é grande a velocidade com que as roupinhas já não vão servir mais. Por isso, antes mesmo de o seu bebê nascer procure organizar as roupinhas dele por tamanho para facilitar as trocas de roupas.

É muito comum ganhar roupinhas de todos os tamanhos — de recém-nascidos aos maiores tamanhos — e é natural que algumas roupas levem mais tempo até servir na criança. Por isso, deixe em fácil acesso as roupas menorzinhas e que serão rapidamente usadas, e separe as que ainda levarão um tempinho para servir no pequeno. Isso te poupará muito tempo, acredite!

Coloque os sapatinhos em gavetas

Uma boa maneira de deixar os sapatinhos bem à vista, para que seja possível pegá-los de forma prática e rápida, é guardá-los em gavetas. Coloque-os enfileirados e, de preferência, assim como com as roupas, também separe-os por tamanhos. Deixe os que já estão servindo no bebê na parte da frente e coloque os que estão grandinhos mais ao fundo, ou em gavetas que ainda não serão usadas.

Além de te dar uma boa visibilidade de quais sapatinhos estão ali e já podem ser usados, essa estratégia te faz economizar tempo!

Pendure os vestidinhos em cabides

Os cabides são ideais para deixar o guarda-roupas organizado e permitem separar as roupinhas de de forma bem prática. Além disso, eles conservam a roupinha sem amassar, o que é ótimo para uma mamãe que já tem mil coisas para cuidar, não é mesmo? Por isso, aposte nos cabides para guardar os vestidinhos da princesa. Uma boa dica é separá-los por estação: de um lado, os vestidinhos fresquinhos de verão; de outro os de inverno, mais compridinhos e com manga. Na hora de vestir a pequena, basta dar uma checada no tempo e pegar o vestidinho que melhor se adequar!

Mantenha os itens de troca de fraldas sempre em fácil acesso

É natural ter que trocar a fralda do bebê muitas vezes ao dia, principalmente nos primeiros meses de vida. Por isso, os itens de troca precisam estar guardados de forma organizada e em fácil acesso, para otimizar o tempo e trabalho da mamãe.

Uma boa forma de manter essa organização é colocar as fraldas (de acordo com o tamanho do bebê) na primeira gaveta do trocador — deixe as fraldas maiores, que ainda não servem, em uma parte reservada do guarda-roupas. Já os outros itens — como lencinhos umedecidos, algodão, pomadas, talco etc — podem ficar armazenados em potinhos ao lado do trocador, sempre em fácil acesso, certo?

Se você precisar trocar a fralda rapidamente antes de sair, por exemplo, essa organização facilitará muito!

Tenha caixas para guardar os brinquedos

Ser mamãe é uma coisa incrível e mágica! Mas isso não quer dizer que seja uma tarefa fácil, concorda? Muitas vezes será preciso juntar os mesmos brinquedos várias vezes ao dia e, quanto maior o seu bebê vai ficando, mais brinquedos ele terá e mais coisas espalhadas ele deixará.

Por isso, uma boa dica é comprar caixas para deixar os brinquedos guardados. Sabemos que você quer manter tudo organizado e cada coisa no seu lugar, mas há momentos em que isso realmente se torna uma tarefa quase impossível, não é mesmo? Nessas horas, ter algumas caixas para colocar todos os brinquedos será uma ajuda e tanto! Você pode colocar os brinquedos separados por categorias — bonecas, carrinhos etc. — em caixas de tamanhos diferentes. E aí você disponibiliza uma delas por vez, para evitar que a criança enjoe de brincar sempre com os mesmos brinquedos, além de, claro, fazer com que menos brinquedos sejam espalhados pelo quarto e pela casa.

Mas atenção: é preciso monitorar os pequenos para que eles não se machuquem ou acabem tomando como brinquedo itens pequenos demais, que podem ser engolidos. Inclusive, vale a pena evitar objetos muito pequenos perto da criança, principalmente nos primeiros anos de vida. Por isso, a dica é: atenção nunca é demais!

Organizar o quarto do bebê pode parecer uma tarefa mais complicada do que você esperava, não é mesmo? Mas seguindo essas orientações esse, com certeza, será um trabalho mais fácil e até divertido. Tenha em mente que a organização só facilitará a sua rotina!

E você, também tem alguma dica de organização para compartilhar com as outras mamães leitoras? Escreva para nós no espaço de comentários! Aproveite para conferir também o nosso post “O que não pode faltar no guarda-roupa do seu bebê”.

Guia: como preparar a primeira viagem com o bebê

A primeira viagem com o bebê costuma ser um momento de apreensão para os papais e mamães, principalmente os de primeira viagem. E é natural que isso aconteça, afinal, os pequenos nunca saíram de tão perto de casa e os cuidados que precisamos tomar para que nada saia errado e a viagem seja um sucesso realmente são muitos. Mas, nem por isso, você precisa se desesperar e pensar em cancelar a viagem com o pimpolho, né? Muito pelo contrário! É preciso buscar dicas e aprender a fazer tudo certinho para estar preparada para levar o seu pequeno para começar a conhecer o mundo e aproveitar momentos deliciosos junto dele!

Pensando nisso, decidimos preparar este guia com muitas dicas e cuidados essenciais que você não pode deixar de lado antes de sair em viagem com o seu bebê. Ficou curiosa e já está até pensando em qual será o destino da sua primeira viagem com o baby? Então continue acompanhando com a gente e fique por dentro de tudo o que preparamos para você!

Como escolher o melhor destino para a primeira viagem com o bebê?

Por mais que você queria sair por aí com o seu pequeno para mostrar o mundo e os lugares mais inusitados, divertidos e exóticos a ele, vale lembrar que os bebês são muito mais sensíveis e se cansam mais facilmente do que os adultos, não é? Por isso, na hora de decidir para onde vocês viajarão, é preciso tomar alguns cuidados muito importantes. Veja a seguir:

Evite viajar para muito longe

É sempre melhor evitar destinos muito distantes, que demandem muitas horas de viagem ou vários trajetos. É bem provável que não tão longe de você exista algum lugar bem interessante para tomar como destino da primeira viagem, então não abra mão de pesquisar.

Procure na internet, converse com as suas amigas que já viajaram com os filhos e encontre um lugar que seja agradável para a primeira viagem, mas que possa manter o seu pequeno confortável durante a viagem.

Tenha cuidado com temperaturas extremas

Viajar para locais quentes ou frios demais pode ser desagradável para o seu bebê. Tenha em mente que o destino da viagem não deve ter um clima extremamente diferente do lugar onde você mora. Se você mora em uma cidade muito fria e o seu pequeno não está acostumado com o calor, mas você quer levá-lo a uma praia, por exemplo, busque praias que tenham água mais morninha, ou que não ofereçam um clima quente demais. O bem-estar do seu pequeno deve vir em primeiro lugar sempre, certo?

Pense em toda a família na hora de decidir o destino

Já que essa será a primeira viagem do seu pimpolho, é essencial que haja coisas interessantes para ele! Por isso, na hora de escolher o destino certifique-se de que lá ele poderá brincar e se divertir muito. Também não deixe a diversão do restante da família de lado, é claro! Então procure pensar em um local que seja tranquilo e onde todos possam se divertir.

Que roupas levar para a viagem?

Esse é um questionamento que provavelmente todos os papais e mamães se fazem na hora de planejar uma viagem. E não é para menos! Como já mencionamos, os pequenos são bem mais sensíveis às altas ou baixas temperaturas e, por isso, é preciso estar preparado para mantê-los sempre confortáveis. Veja algumas dicas:

Compre roupas de qualidade

Em primeiro lugar, algo que deve receber atenção especial dos papais é a qualidade das roupinhas do bebê. É preciso lembrar de que na viagem haverá várias atividades, provavelmente sol e piscina e, por isso, roupas de qualidade confiável são necessárias. Elas vão garantir que o pequeno fique confortável e seguro onde ele estiver.

Leve roupinhas a mais

Você já sabe que os bebês sujam muito as roupinhas — seja na hora de comer ou de brincar — por isso, levar um “estoque reserva é um cuidado básico. Se a sua viagem durará uma semana, por exemplo, programe-se como se você fosse ficar dez ou onze dias. Isso vai garantir que o bebê terá roupinhas limpas e em boas condições de uso até o fim da viagem.

Se a sua viagem for em época de chuvas, é preciso ter ainda mais cuidado: lembre-se de que as roupas que você lavar poderão não secar com facilidade, então ter as trocas reserva é muito importante.

Não confie na previsão do tempo

Uma das primeiras coisas que fazemos na hora de decidir qual será o nosso destino é olhar como estará o tempo, não é? Mas vale lembrar que a previsão do tempo nem sempre acerta. E, ainda assim, quando o assunto é viagem com o bebê, não há porque dar mole, concorda?

Então mesmo que a previsão esteja marcando um solzão para todos os dias de viagem, não deixe de levar algumas peças de frio — como casaquinhos, calças e blusas de manga — para casos de mudança repentina ou emergências na viagem. O mesmo vale para o contrário da situação: mesmo que você pretenda ir para um lugar frio, não se esqueça de levar algumas blusinhas fresquinhas, bermudinhas e vestidinhos de calor.

Pense nas atividades que vocês farão na viagem

Outra maneira muito importante de programar as roupas para a primeira viagem com o bebê é pensar nas atividades que vocês farão ao logo dos dias. Vocês terão atividades ao ar livre? Participarão de atividades mais formais e que exijam o uso de roupas mais elegantes? Quais serão os lugares que vocês visitarão? Tenha tudo isso em mente — e até anotado, se for o caso! — e defina as roupinhas que deverão ser levadas.

Do que não esquecer?

Se quando vamos viajar sozinhos já é enorme a lista de coisas que não podemos nos esquecer, imagine então quando for o momento da primeira viagem com o bebê, não é mesmo? Nada pode sair errado! Por isso, é essencial fazer um checklist de tudo o que não pode ser esquecido! Quer uma ajudinha? Veja a seguir:

Documentos dos pais e do bebê

Tão importante quanto as roupinhas é a documentação para a viagem. Tenha em mente que se você não portar os documentos do bebê mesmo sendo mãe, você sofrerá o risco de não viajar. Portanto se atenha a esse cuidado e não deixe os documentos de fora! Uma boa dica é levar os documentos originais e uma cópia autenticada de cada um deles.

Acessórios para o bebê

Nem só de roupinhas bonitinhas e confortáveis vive o seu filho, não é mesmo? Os acessórios do dia a dia não podem ficar para trás, portanto, pegue papel e caneca e anote: mamadeira, fraldas, brinquedinhos, bonés, babadores, termômetro, kit de primeiros socorros, algodão, esparadrapo, toalhinhas ou lenços umedecidos, protetor solar, chupeta, carrinho do bebê etc.

Todos esses acessórios podem fazer muita falta e você sabe muito bem disso, não é mesmo? Então prepare tudo isso e não descuide de nada!

Remédios que você costuma utilizar

Muitos bebês normalmente sentem cólicas, dor de ouvido ou então acabam esfolando um ou outro joelho de tanto brincar. Portanto, pense nos medicamentos que você costuma usar com o seu filho e coloque-os na bolsa também.

Lembre-se, no entanto, de usar apenas os medicamentos recomendados pelo pediatra do seu pimpolho, certo? Aliás, uma boa dica é marcar uma consulta antes da viagem, para garantir que está tudo certo com o pequeno e que vocês poderão viajar de maneira tranquila.

Carteirinha do plano de saúde

É claro que o que você menos quer é precisar da carteirinha do plano de saúde do bebê, principalmente durante a viagem, né? Mas é imprescindível levá-la. Aqui vale a máxima “antes prevenir, do que remediar”. Mesmo que por alguma coisa simples, como uma possível dor de garganta, por exemplo, você poderá precisar levar o pimpolho ao médico, por isso a carteirinha não deve ficar para trás. E isso vale também para os papais e mamães: as carteirinhas de todos devem estar na bolsa na hora da viagem, combinado?

Piscininha inflável

Se a sua viagem for na época de calor, a piscininha inflável é uma ótima pedida para manter o bebê confortável e se divertindo! Fácil de carregar e de montar ela pode ser montada na praia, no clube ou no hotel. Vale lembrar que muitos locais como esses não possuem piscinas para os bebês, no entanto, eles também merecem se divertir, não é mesmo?

Mas atenção: ainda que a piscininha for rasa e inofensiva, não vale desgrudar os olhos do bebê enquanto ele estiver brincando, hein?

Como entreter o bebê durante a viagem?

Esse é um grande dilema! Afinal, os bebês não são como nós, adultos, que pegamos um livro para esperar o tempo da viagem passar, caímos no sono ou mesmo apelamos para os joguinhos dos smartphones.

Os bebês são bastante imprevisíveis, pode ser que eles durmam a viagem toda, ou que façam uma verdadeira algazarra enquanto o destino não chega. Por isso, é preciso estar preparado! Veja agora algumas dicas para entreter o seu bebê durante a viagem:

Leve o brinquedo favorito dele junto com vocês

Sabe aquele ursinho, boneca ou joguinho que o seu bebê não larga? Então, ele deve ir para a viagem sim, e melhor: junto com vocês e não no porta-malas! Isso será uma maneira de manter o bebê brincando enquanto vocês estiverem viajando e evitar aqueles choros intermináveis.

Converse com o bebê e mostre a paisagem

É bem provável que chegará um momento que nem mesmo o boneco ou joguinho favorito do pimpolho o manterá entretido enquanto o tempo não passa. Para tentar evitar que ele fique entendiado, procure conversar com ele sobre a viagem, o que vocês farão lá; ou então mostre a paisagem. Mostre ao bebê que você está ali com ele e que, em breve, vocês estarão se divertindo.

Tente fazer a criança dormir durante a viagem

Se nada disso que citamos acima fizer o pequeno se manter entretido, pode ser que o problema seja sono. Viagens — principalmente as mais longas — cansam muito as crianças e, muitas vezes, o que elas precisam é de uma boa soneca. Aliás, fazer o bebê dormir durante a viagem também é positivo porque fará com que ele chegue ao destino mais descansado e relaxado, permitindo que vocês aproveitem melhor cada momento.

Por isso, esteja preparado para fazer o seu filho dormir durante a viagem. Para tanto, não se esqueça do travesseiro e da mantinha favorita dele, certo? Uma dica interessante é levar alguns livrinhos de historinhas e desenhos para contar para o pequeno e fazê-lo dormir.

Como escolher a melhor hospedagem?

Na hora de decidir onde vocês irão se hospedar, não deixe de certificar-se de que o hotel, pousada ou casa terá estrutura para receber bebês. Quartos com berço, área de lazer e parquinho, fácil acesso para carrinhos, janelas altas e escadas com grades são alguns dos requisitos importante aos quais você deve ficar de olho!

Viajar com o pimpolho pela primeira vez é realmente uma delícia, não é mesmo? Será em momentos como esse que você terá oportunidade de explorar o mundo e coisas novas com o pequeno! E não há motivos para temer ou esperar o seu filho crescer demais. Basta fazer um planejamento e seguir essas dicas e cuidados importantes que mostramos aqui. E se você tem o espírito aventureiro, gosta muito de viajar e quer passar isso para o seu filho, a hora é agora! Aproveite o momento, escolha o destino ideal e comece os preparativos!

Você já realizou, ou está pretendendo realizar a primeira viagem com o seu bebê? Para onde você pretende ir? Que outros cuidados você acha que não podem faltar para uma primeira viagem? Compartilhe a sua opinião com a gente por meio do espaço de comentários!

Para saber mais sobre o assunto, não deixe de conferir também o nosso post “Entenda a importância de escolher bem as roupas de praia de seus filhos”. E para continuar por dentro de dicas e novidades sobre o mundo kids, continue acompanhando o nosso blog e boa viagem! Até a próxima!

Tudo o que você precisa saber para escolher a escola do seu filho

É na escola que o seu filho conhecerá seus primeiros amiguinhos, entrar em contato com desafios que o farão crescer cada vez mais rápido e aprender valores como o trabalho em equipe e compartilhar brinquedos e materiais com os colegas, por exemplo. Além disso, as aulas, deveres de casa e atividades extraclasse que vão passar a fazer parte do dia a dia do pequeno com certeza vão afetar toda a família!

Sendo assim, ninguém duvida que escolher a escola certa é muito importante! Mas você sabe a que deve estar atento na hora de tomar essa decisão tão fundamental? Então continue lendo, confira as nossas dicas e faça a escolha certa para a educação do seu filhote!

Procure uma escola com valores parecidos com os seus

Esse talvez seja o ponto mais importante na escolha da escolinha do seu filho, por isso o colocamos em primeiro lugar. É claro que parte da formação dos pequenos também acontece em casa, mas fazê-lo frequentar uma escola que cultiva valores diferentes — e até opostos — aos seus vai deixá-lo frustrado, confuso e dificultar a aprendizagem, além de poder até suscitar algum bullying entre os coleguinhas por causa da diferença.

Escolher uma instituição de ensino que pensa de um jeito parecido com o seu, então, é fundamental: se você valoriza o aprendizado de música e instrumentos, coloque seu pequeno em uma escola que tenha aulas de musicalização; se tem muito apreço pela espiritualidade, talvez seja interessante escolher uma escola religiosa; da mesma forma, se você não gostaria que seu baixinho entrasse em contato com dogmas religiosos desde cedo, prefira uma escolinha laica, que trabalhe a espiritualidade de outras formas.

Conhecer de perto o programa e os valores das escolas vai te ajudar a entender, de cara, se ela tem ou não a ver com a sua família.

Veja se há abertura para diálogo com os pais e a comunidade

A escola tem sim um papel importantíssimo na formação das crianças, mas os pais e mães também devem poder saber e opinar sobre o que seus filhos aprendem em sala de aula, certo? Para isso, verifique se a escolinha realiza reuniões regulares com os pais, se ligam imediatamente caso haja algum problema com o pequeno e até se interagem com a comunidade em que está inserida.

Sobre esse último ponto, vale lembrar que a escola causa um impacto bem grande nas vizinhanças, seja pelo barulho dos pequenos correndo no recreio ou pelo trânsito gerado pelos pais na hora da saída, então quanto melhor for o relacionamento da escola com a comunidade, melhor será a convivência de todos naquele espaço.

Informe-se sobre como acontece a formação humana dos alunos

Falando no relacionamento da escola com a comunidade, outra coisa essencial a ser checada antes de escolher a escola do seu filhote é a formação humana oferecida pela instituição. Lembre-se de que a escola será um grande exemplo para seu filho, e o colégio que realiza ações em prol da sociedade — como campanhas solidárias, inclusão social, ações contra a discriminação — estará mostrando como o seu pequeno precisa se preocupar também com as pessoas à sua volta.

Projetos como Dia da Água, uso de energia de fontes alternativas na escola, reciclagem do lixo produzido nas salas de aula e outras atitudes em defesa do meio ambiente também são um indicativo de que a escola é correta e irá ensinar esses valores positivos aos pequenos estudantes.

Balanceie preço e qualidade

Nem sempre a escolinha mais cara da cidade é a melhor opção para o seu pimpolho, sabia disso? Em primeiro lugar porque qualidade de ensino é algo que tem significados bem diferentes dependendo da idade da criança: enquanto adolescentes mais velhos precisam se concentrar nas notas para se dar bem no ENEM, as crianças do jardim de infância e primeiros anos do ensino fundamental precisam é aprender a ler muito bem e desenvolver o gosto pela leitura; já os aluninhos menores devem ter pouquíssimas obrigações, preocupando-se mais em desenvolver sua criatividade e relacionamentos com os colegas.

Ao escolher a escola do seu filho, então, verifique se as exigências do colégio estão de acordo com a idade dele — a demanda não deve ser nem excessiva nem baixa demais para o seu nível — e, em segundo lugar, compare os preços entre as opções disponíveis, sem acreditar que o mais caro sempre é o melhor. Aliás, vale checar tanto escolinhas públicas quanto particulares e, no segundo caso, avaliar a possibilidade de conseguir algum tipo de bolsa para o seu pequeno, se necessário.

Verifique se a localização e os horários são compatíveis com a sua rotina

Em pouco tempo a escola vai começar a fazer parte do dia a dia de todos na casa: vai ser preciso acordar seu filho pontualmente para chegar à aula, ajudá-lo a se vestir para a escola, preparar sua merenda e, claro, levá-lo e buscá-lo.

Dessa forma, não se esqueça de checar se a escola fica em um lugar de fácil acesso para você e se os horários batem com os que você tem disponível. Do contrário, pode ser preciso escolher outra escola ou contratar um serviço de transporte para levar e buscar o baixinho todos os dias, caso ele ainda não tenha idade para ir e voltar por conta própria.

Leve o seu pimpolho para conhecer a instituição

Por último, que tal contar com a opinião do seu filho nessa escolha tão difícil? Depois de selecionar as melhores opções entre as escolas disponíveis, leve o pequeno para conhecer o lugar, os professores e funcionários, além de futuros colegas, caso o ano letivo já tenha começado. Afinal, é ele que vai ir à escola todos os dias, então a sua escolha precisa agradá-lo também, não é verdade? Se a escola tiver um ambiente atrativo e que combina com o seu pimpolho, você vai ver isso nos olhos dele no momento da visita!

Pronto para escolher a escola que vai começar a fazer parte da sua vida e da do seu filho? Siga as nossas dicas para acertar em cheio nessa decisão e não deixe de comentar contando que critérios foram mais relevantes para você e por quê!