Enxoval para bebê: confira o que não pode faltar

Basta o teste de gravidez dar positivo, que a futura mamãe já começa a sonhar com o enxoval do bebê. E não é para menos! O mercado infantil é cheio de possibilidades e repleto de coisas lindas que enchem os olhos de qualquer pessoa, quem dirá de uma gestante que está com as emoções à flor da pele e ansiosa pela chegada do pequeno.

É comum que, antes mesmo de saber o sexo do bebê, as primeiras compras sejam feitas. Em muitos casos, itens desnecessários são adquiridos e algumas peças nem chegam a ser usadas. Nesse caso, as aquisições apenas representam mais gastos, mais trabalho e menos espaço em casa.

Para que isso não aconteça com você, listamos todos os itens essenciais para montar um enxoval sob medida para o seu bebê. Quer saber o que não pode faltar? Então vem ver o nosso checklist!

Roupinhas

As roupinhas são essenciais não apenas para que os bebês fiquem lindos, mas também para a proteção térmica dos pequenos, portanto, elas não poderiam ficar de fora da nossa lista.

Apesar das roupas serem muito importantes, é preciso moderar na quantidade, pois na fase inicial da vida, os bebês ganham muitas roupas de presente. Além do mais, as crianças crescem muito rápido. Se você comprar roupas demais, pode ser que seu filho cresça e nem chegue a usá-la.

cj 2 pc xadrez vermelho RN
cj 2 pc xadrez vermelho RN

Evite os estoques. Compre os itens básicos, em quantidades moderadas. É melhor comprar mais peças à medida que o bebê crescer e a necessidade aparecer. Por exemplo, se a família for convidada para uma festa, você pode comprar uma roupa mais social infantil específica para a ocasião.

Outro ponto a ser considerado é o tipo de roupinha. Ela deve ser confortável e segura, sendo assim, priorize peças macias, hipoalérgicas e que não apertem e nem arranhem a pele sensível da criança. Além disso, evite roupinhas com cordões muito longos, botões e apliques fáceis de retirar.

cj 3 pecas chicks dig me 6-9 meses
cj 3 pecas chicks dig me 6-9 meses

Em relação às quantidades, veja a seguir uma sugestão básica para montar o enxoval:

  • 6 bodies de mangas curta;
  • 6 bodies de mangas longas;
  • 6 culotes;
  • 3 pares de meias;
  • 6 macacões.

Considere a estação do ano em que o bebê vai nascer para escolher os tecidos. O outono e o inverno pedem roupinhas de materiais mais quentes, a exemplo do plush. Na primavera e no verão, abuse do algodão. Vale ressaltar que no inverno as roupas demoram um pouco mais a secar, então você pode aumentar um pouco a quantidade de bodies e macacões.

Conj 2 peças infantil feminino RN Hello Kitty
Conj 2 peças infantil feminino RN Hello Kitty

Fraldas, roupa de cama e banho

Não basta pensar nas roupinhas na hora de montar o enxoval! É preciso lembrar também das atividades do dia a dia e, nesse sentido, alguns itens podem facilitar – e muito – a vida das mamães. Estamos falando das roupas de cama e banho!

  • 3 toalhas felpudas;
  • 3 toalhas fralda;
  • 3 conjuntos de lençol para carrinho;
  • 2 mantas, uma fresca e uma quentinha;
  • 5 fraldas de boca;
  • 5 fraldas de ombro;
  • 1 Mosquiteiro (você vai precisar se a região tiver muitos insetos).

Há quem ache as fraldas de tecido desnecessárias, mas as menores limpam a boca e o rostinho do bebê, enquanto as maiores podem ser colocadas no ombro da mãe para o bebê arrotar, podem servir de cortina para tampar a entrada de sol no carro ou podem ser usadas para cobrir os seios das mamães que não querem deixá-los tão à mostra durante a amamentação.

Ao escolher roupas de cama e banho, aposte em tecidos macios, de preferência 100% algodão ou malha, pois são mais agradáveis, frescos e fáceis de higienizar.

Pense também na praticidade. Peças com babados, por exemplo, podem dar trabalho no dia a dia, já que requerem mais tempo na hora de passar.

Por fim, capriche na escolha das toalhas. Os modelos com capuz são ótimos, pois protegem a cabecinha das crianças do vento e facilitam na hora de secar o cabelo.

Higiene

O kit higiene é extremamente necessário para o enxoval infantil. Muitas vezes, grandes kits são comercializados e nem todos os itens são necessários, mas uma coisa é certa: comprar os itens avulsos é uma boa maneira de economizar.

Existem kits com potes de algodão e cotonete, tigela, pote para pomada de assadura, termômetro, escova, tesoura. Aqui não há regras! Escolha um kit do tamanho que desejar, mas o que não pode faltar em termos de higiene são os seguintes itens:

  • 2 pacotes de algodão;
  • 2 pacotes de lenços umedecidos;
  • 2 sabonetes neutros;
  • 1 conjunto com cortador, tesoura e lixa;
  • 1 bisnaga de creme antiassadura;
  • 1 conjunto de pente e escova para cabelo;
  • 3 pacotes de fraldas descartáveis;
  • 1 garrafa térmica para facilitar as trocas de fralda com água morna;
  • 6 caixas de absorventes de seio.

A regra de ouro aqui é não comprar muitas fraldas descartáveis, pois algumas marcas podem provocar alergias.

Móveis

Já viu quartos cheios de móveis que não têm utilidade e deixam o ambiente da criança menos funcional? Evite esse problema e adquira itens que deixem o quartinho bonito, mas que ao mesmo tempo desempenhem uma função além de decorativa. Você vai precisar de:

  • 1 berço com certificação do INMETRO;
  • 1 cadeira/poltrona de amamentação;
  • 1 guarda-roupa infantil ou cômoda.

Os nichos e prateleiras não são obrigatórios, mas podem ser usados para decorar o ambiente e guardar objetos.

Enfeites, bonecas, quadros, lustres e pelúcias podem ser usados para complementar a decoração, mas evite excessos para não poluir visualmente o quarto e nem acumular poeira, provocando alergias no seu bebê.

Acessórios e itens de passeio

Para finalizar nossa lista de itens essenciais, não poderiam faltar os acessórios usados no dia a dia, bem como, os objetos de passeio:

  • 1 babá eletrônica;
  • 1 banheira;
  • 1 trocador;
  • 1 cadeirinha de carro;
  • 1 carrinho de passeio;
  • 1 Canguru ou Sling.

A banheira pode ou não ter suporte, além de diferenciais, como porta sabonete e porta shampoo. Existem também as banheiras infláveis para levar em viagens. A escolha dos modelos é pessoal, mas uma boa dica é considerar o tamanho do banheiro antes da compra.

O trocador pode ser avulso, encaixado no berço ou embutido na própria cômoda onde as roupinhas são guardadas.

A cadeirinha de carro precisa ter o selo do INMETRO e o tamanho deve ser escolhido de acordo com a indicação de peso e idade. Observe também o tecido e as facilidades de limpeza.

Quanto aos carrinhos, verifique também o selo do INMETRO e certifique-se de que itens, como as travas, cintos e freios funcionam adequadamente para garantir a segurança do seu filho.

Itens opcionais

  • Sapatinhos: Eles são lindos, mas os recém-nascidos não precisam, pois costumam usar macacões com pezinho ou meias.
  • Pagão: O conjunto de pagão combina com um casaquinho, uma camiseta e uma calça de malha, mas o body e o culote cumprem a mesma função e, além disso, são mais práticos.
  • Saída de maternidade: Você não precisa adquirir um conjunto de manta e macacão combinando. Pode fazer a sua própria combinação!
  • Cueiro: Se você já tem mantas, não há a necessidade de comprar o cueiro, a menos que queira muito.
  • Luvas: Só compre luvas se a região realmente for muito fria. Num país tropical como o nosso, esse item é desnecessário na maioria das vezes. Algumas mães colocam luvas para os bebês não se arranharem, mas se as unhas forem mantidas curtinhas, não há esse risco.
  • Conta-gotas: Não precisa comprar conta-gotas à parte. Dificilmente seu bebê precisará de remédios e, se precisar, boa parte deles já vem com o próprio conta-gotas.
  • Fita-crepe: Você certamente não vai precisar desse item em tempos de fraldas descartáveis.
  • Almofada específica para amamentar: Qualquer almofada pode te oferecer mais conforto na hora da amamentação. Teste as almofadas da sua casa antes de adquirir almofadas específicas.
  • Protetor de berço: Apesar de lindo, esse item não costuma ser seguro. Se você não abrir mão dele, prefira os modelos mais finos.
  • Babadores: Os babadores podem ser úteis, mas deixe para comprar quando o baby desmamar.
  • Mamadeira: Compre apenas depois que o bebê desmamar ou se você tiver algum impedimento para amamentar.
  • Perfume: compre colônias apenas se fizer questão. Aplique na roupa e não diretamente na pele do bebê — no entanto, observe se o produto não provoca algum tipo de alergia nele. Óleos podem facilitar o deslizar das mãos nas massagens anticólicas.
Conjunto para bebê
Conjunto para bebê

Gostou da nossa lista? Ela vai ser útil na montagem do seu enxoval do bebê? O que você acha que não pode faltar em enxoval para bebê? Comente!

9 dicas de tipos de roupas de bebê que seu filho precisa

Uma das tarefas que as futuras mamães mais gostam durante a gravidez, com certeza, é a escolha do enxoval. Montar o quarto e escolher as roupinhas que vestirão o bebê nos seus primeiros meses de vida é um grande prazer para pais de primeira viagem ou até mesmo para os mais experientes, já que cada filho traz uma emoção única.

Mas nem sempre a gestante acerta na escolha, já que as lojas exibem uma infinidade de roupinhas com babados, laços e detalhes que podem pôr em risco a segurança do bebê ou simplesmente oferecem um desconforto desnecessário.

Para ajudar os futuros pais nessa deliciosa tarefa de escolher as roupas de bebê, preparamos algumas dicas de peças que não podem faltar no enxoval:

Bodies

Há quem diga que essa é a peça curinga no enxoval do bebê — realmente, os bodies são confortáveis, práticos e bonitos. Com tamanhos que vão desde o recém-nascido até quase 2 anos, é um item versátil que vai vestir o seu bebê por muito tempo. De manga longa, curta ou até sem manga, eles podem ser encontrados em várias cores, desde os tons pastéis até coloridos vibrantes, com estampas e desenhos infantis.

Alguns modelos possuem uma abertura no pescoço que facilita a colocação, pois permite vestir o bebê por cima ou por baixo. A abertura inferior geralmente é feita com botões, e é possível comprar extensores para prolongar o uso da peça ao longo do crescimento do bebê. A grande vantagem dos bodies é que, como são fechados por baixo, ao segurar o bebê a roupa não sobe, mantendo o bebe aquecido e protegido mesmo estando no colo.

Camisetas e camisas

São encontradas em vários tecidos e estilos, e podem ser usadas combinadas com bermudas, jardineiras, calças ou apenas com a fralda nos dias de mais calor. As camisetas também podem ser colocadas por baixo do macacão, para complementar e aquecer o bebê nos dias mais frios. No caso de camisas mais tradicionais, a dica é procurar peças com a gola de algodão, material mais macio e indicado para ficar em contato com a pele sensível do pescoço do bebê.

Culotes e mijões

Esse tipo de calça de tecido mais leve é perfeita para ser usada acompanhando os bodies ou as camisetas, ou mesmo por baixo do macacão nos dias de temperaturas mais baixas. Outra vantagem é a possibilidade de trocar apenas essa peça se houve algum acidente na hora de trocar a fralda. Também são usados bastante na hora de dormir, pois são confortáveis e práticos.

Macacões

Outra peça prática que está sempre presente no guarda-roupas dos bebês são os macacões, que podem ser de manga longa, manga curta, com ou sem pezinho e de tecidos leves ou mais quentes. Dependendo do estilo, ele pode ser usado como pijama ou até mesmo para sair. Os modelos com botões na frente são mais fáceis de serem colocados, mas existem modelos com abertura inferior que também são práticos e bastante úteis.

Casaquinhos

Uma opção indispensável para aquecer o bebê nos dias mais frios, os casaquinhos são fáceis de vestir e podem ser encontrados em diversos tecidos, desde os tradicionais de lã até os mais modernos, de malha, linha ou moletom. Uma boa dica é comprar modelos maiores, que podem ser usados por mais tempo (usando a manga dobrada nos primeiros meses). Cores neutras também são mais indicadas, pois combinam com vários outros itens do guarda-roupas da criança.

Vestidos

Podem ser usados desde os primeiros meses, e são o xodó das mamães. Na hora de escolher o vestido para uma bebê mais novinha, prefira modelos com poucos babados e fitas, que podem representar um risco. Os modelos regata (sem manga) são perfeitos para o verão, e as peças com manga comprida podem ser usados com calça ou legging no inverno.

Gorros e chapéus

Para proteger o bebê e garantir que ele se mantenha aquecido nos dias de inverno, os gorros são opções práticas e podem ser encontrados em diversas cores e tecidos, sendo que o mais comum (lã) pode causar alergias. Para os dias de calor e sol forte, um chapéu ajuda a proteger a pele sensível do bebê. Procure modelos que cubram as orelhinhas e que prendem debaixo do queixo, para evitar que caia quando o bebê se movimentar.

Meias

As meias devem ser confortáveis, sem elásticos que apertam demais ou dificultam sua colocação. Além de complementar o visual, as meias aquecem os pés dos bebês e podem ser usadas com qualquer roupa, desde macacões e bodies até calças e culotes. Atualmente, é possível encontrar uma grande variedade de meias para bebês, desde as mais leves até as com solado antiderrapante ou imitando sapatinhos.

Sapatinhos

Os sapatos são peças dispensáveis para bebês que ainda não andam, mas se forem feitos de tecido ou materiais leves e confortáveis, eles podem ser usados esporadicamente para compor o look. Quem resiste a um sapatinho de bebê? Com modelos delicados e em várias cores, os sapatinhos podem ser encontrados em tamanhos até para recém-nascidos.

Dicas para escolher e cuidar das roupinhas de bebê

  • Na hora de comprar, escolha um tamanho maior do que a numeração que o bebê está usando. Mesmo que nos primeiros dias ela fique folgada, em pouco tempo ela servirá perfeitamente.
  • No verão, dê preferência a tecidos leves e naturais, como algodão.
  • No inverno, roupinhas de plush, lã e moletom ajudam a aquecer o bebê.
  • Use as tabelas de orientação das marcas para escolher o tamanho correto, de acordo com a idade, altura e peso do bebê.
  • Sempre siga as instruções de limpeza na etiqueta das roupas — algumas peças não podem ser lavadas na máquina ou deixadas ao sol para secar.
  • Use um sabão específico para lavar as roupas do recém-nascido, de acordo com a orientação do seu médico. Lavar a roupa do bebê separadamente também é um cuidado importante nos primeiros meses.
  • Evite vestir o bebê em “camadas”. Uma peça de roupa de tecido mais quente é mais prática do que várias peças de roupa leves.
  • Organize as roupas de bebê no armário de forma prática e acessível.
  • E, principalmente, aproveite o momento das trocas de roupa do bebê para estreitar seus laços com ele, através de conversas, massagens e toques suaves.

E você, já conhecia essas peças indispensáveis de roupinhas de bebê? Quais delas você já comprou? Deixe seu comentário!

Como curar a cólica do bebê?

O seu bebê está chorando faz um tempo com grande intensidade e sem parar. Você já o trocou, já o alimentou, já o agasalhou, já o ninou e nada do chorinho cessar. É um choro tão forte que sinaliza dor, sinaliza que algo não vai bem, sinaliza a incômoda cólica.

Quando nenhum outro motivo justifica o desconforto e o choro estridente, provavelmente o bebê está passando por uma crise de cólicas — vale destacar que as dores abdominais são bastante comuns nos primeiros meses de vida da criança, afinal, o sistema digestivo dos recém-nascidos ainda é bem imaturo. Geralmente, tais crises ocorrem no final da tarde ou à noite, fazendo com que o abdome do pequeno contraia, provocando dor e desconforto.

A boa notícia é que há uma série de técnicas e estratégias para mamães e papais adotarem a fim de aliviar a cólica do bebê. Veja a seguir o que fazer se o seu filho estiver com cólica!

Preste atenção à sua alimentação

Essa dica é exclusiva para as mamães que ainda estão amamentando, afinal, o que elas comem acaba interferindo diretamente na saúde e qualidade de vida dos bebês. A dieta da mãe é um dos fatores causadores de cólicas nas crianças, por isso, deve-se evitar alimentos industrializados ricos em estabilizantes, corantes e conservantes, pois eles dificultam o processo de digestão das crianças.

Massageie a barriga do bebê suavemente

Um dos métodos mais antigos e eficazes para aliviar a cólica e diminuir o desconforto dos bebês é massagear suavemente a barriguinha deles ao primeiro sinal de dor. Com as mãos em forma de concha, faça movimentos lentos e circulares no sentido horário. Deslize uma mão de cada vez, partindo inicialmente da base das costelas em direção à parte baixa do abdome. O toque deve ser sutil e a pressão suave, pois estamos falando de bebês e eles são muito sensíveis.

Deite o bebê e movimente as perninhas dele

Coloque o bebê deitado e lentamente dobre os joelhos dele para que as coxas pressionem levemente a barriga. Feito isso, estenda as pernas da criança e simule movimentos de pedalada. Esse recurso pode ser usado não apenas na hora da dor, mas repetido durante o dia para evitar as cólicas.

Dê um banho quente na criança

Outro método que tende a funcionar é dar um banho quente no baby. Prepare cuidadosamente um banho de imersão e regule a temperatura em torno de 36ºC, no máximo 37ºC. O ambiente deve ser tranquilo e relaxante, de preferência, totalmente silencioso ou com uma música suave, mas jamais tumultuado. Diminua a luz do espaço e converse delicadamente com o pequeno para acalmá-lo. A água quente combinada a esse clima reconfortante vai tranquilizar o bebê, relaxá-lo e fazer a cólica ceder.

Faça uma compressa morna sobre o abdome do bebê

Se os métodos acima não funcionarem, recorra às compressas mornas. Você pode passar uma fralda de tecido a ferro e colocá-la morna sobre a barriga da criança. Se preferir, use uma bolsa térmica durante alguns minutos. O calor vindo da compressa promove a vasodilatação, favorece o fluxo sanguíneo e faz com que a musculatura abdominal relaxe, diminuindo assim o desconforto. Tome cuidado apenas com a temperatura para não queimar ou machucar o seu bebê.

Enrole o bebê no cueiro

Essa técnica também é bem antiga e eficiente. Quando o bebê estiver chorando sem parar por causa das cólicas, enrole-o como um pacotinho ou charutinho. Use o cueiro para envolvê-lo, pois isso diminui a agitação e irritabilidade do pequeno. Você pode deixá-lo quietinho e ficar apenas observando ou caminhar com ele pela casa até que ele se acalme completamente.

Estabeleça um contato pele a pele

Muitas vezes o simples contato pele a pele acalma e acolhe o bebê. A criança pode ser colocada de bruços sobre o peito da mamãe ou do papai. Essa posição facilita a saída dos gazes que agravam a cólica. O quartodeve estar preferencialmente quentinho, o bebê deve estar apenas de fralda e o peito dos pais deve estar descoberto para promover o aconchego completo e transmitir total segurança através do contato pele a pele.

Previna os gases

Quando o bebê mama, ele engole uma considerável quantidade de ar. Isso contribui para a produção de gases que agravam a cólica, portanto, é fundamental preveni-los para evitar as dores abdominais. Depois de cada mamada, faça o bebê arrotar e expelir o ar que foi engolido na amamentação.

Ofereça o peito para o bebê

Muitos bebês se acalmam quando recebem o leite materno. Isso ocorre porque mesmo que a razão do choro não seja fome, o contato com a mãe e a estimulação oral promovida pela sucção satisfazem a criança, relaxam e ajudam a amenizar a cólica. No entanto, não recorra a essa estratégia se o beber recusar repetidamente a mamada ou se ele tiver acabado de mamar.

Medique de acordo com a orientação médica

Depois de tentar várias manobras, sem sucesso, medique a criança, claro, com orientação do pediatra. Existem analgésicos infantis e medicamentos contra a flatulência que podem ser dados aos pequenos, mas somente em último caso e apenas na hora da cólica, pois esses remédios não possuem caráter preventivo e, além disso, contam com contraindicações e efeitos colaterais. Nada de dar medicamentos toda vez que a criança chorar por conta da cólica, entendido?

No mais, mantenha a calma e retire-se de cena quando for necessário. Algumas crises de cólicas duram horas e isso acaba estressando as mães, gerando tensão e preocupação. Para que esses sentimentos negativos não sejam percebidos pela criança e não prejudiquem a aplicação correta dos métodos anticólicas, a mamãe deve sair de cena e deixar o papai ou vovó assumirem o controle temporariamente. Depois de um tempo, já mais calma e aliviada, ela pode voltar e tentar outros recursos para aliviar as dores abdominais do seu pequeno. Lembre-se que para oferecer o melhor para as crianças, pais e mães também precisam estar bem fisicamente e mentalmente.

E aí, gostou das nossas dicas? Achou úteis os métodos anticólicas compartilhados aqui? Já utilizou algum desses? Conhece alguma outra estratégia para aliviar a cólica do bebê? Compartilhe sua experiência e dicas com a gente!